quinta-feira, agosto 10, 2017

Brasil: O parlamentarismo perpetuará os corruptos no poder?

O Brasil perdeu o rumo há tempos, mas a política à cada dia mostra que perdeu a razão de existir revelando um abusivo desvio de propósito. Políticos que se apossaram da máquina pública e se protegem mutuamente para o bem comum, enquanto o país padece em sofrimento, descrença e um mundo imensurável de abusos. Até quando estas manobras poderão manter esta gigante corrupção? Hora de discutirmos sobre o parlamentarismo - Continue lendo:

Parlamento italiano - Domínio Público - Creative Commons via Wikipédia 

Por Saulo Valley - O Observador do Mundo - Rio de Janeiro, 10 de Agosto de 2017 - As 10:51 GMT-3

O governo interino trabalha dia enoite para se manter de modo permanente no poder. Par isto utiliza todas as ferramentas garantidas pelas leis e decretos (escritas por eles mesmos) e manobras que correm na velocidade da luz. Esquemas de compra de apoio, troca de favores, suborno de autoridades.. uma correria sem precedentes para blindar à todo tempo os políticos que deveriam a esta altura, estar na cadeia. Estes são liderados pelo presidente da república em aliança com os três poderes e o setor empresarial privado.

Literalmente estão saqueando e sucateando o Brasil. E se nada for feito à tempo pouco restará da nação senão a miséria, o caos e a mortandade generalizada.

A Constituinte

Muita gente pensa que a convocação de uma constituinte é coisa de ditaduras comunistas a exemplo da caótica Venezuela. Mas se engana. Até porque desde o fim do governo Dilma é que políticos de "esquerda" buscam à todo tempo retomar o controle da máquina pública para continuar sustentando seu "projeto de poder", que por coincidência se assemelha ao pensamento marxista e leninista para este continente. Só mesmo a falta de instrução do povo permitiria uma tragédia política como esta se estabelecer. Mas em Dezembro de 2016 o Deputado Rogério Rosso (PSD-RN) apresentou sua proposta de constituinte sem a participação popular. A proposta sugere ao congresso nacional fechar as portas e reescrever a constituição (visando invalidar todos os processos e denúncias contra parlamentares envolvidos em atos de corrupção, lavagem de dinheiro, enriquecimento ilícito entre outros crimes contra o estado). Com a nova constituinte, por exemplo poderiam desmantelar todos os órgãos jurídicos, seus estatutos e regimes internos poderiam ser refeitos com base na nova lei, inteiramente escrita pelos quase 80% de políticos que hoje se encontram na mira da justiça federal.

Pra quem não reparou, o governo Temer é a continuação dos governos Lula e Dilma, excluindo ou remodelando todos os programas que ganharam rejeição ou crítica nacional. Logo após ter comprado (com dinheiro público) o direito de ver o pedido de instauração de seu processo criminal arquivado pelos deputados, começou a se reunir com todos os partidos independente da orientação política, para compor o novo governo que tem como meta a chamada "reforma política". A manobra que permitirá aos políticos o poder reorganizar a casa de modo a tornar definitivamente blindada toda a categoria, contra investigações criminais atuais e futuras.

Parlamentarismo

Nesta semana o presidente Michel Temer reuniu seus aliados, oposicionistas e parceiros para dar continuidade à discussão da proposta de evocação do parlamentarismo como sistema de governo. A proposta vem sendo apresentada em diversidade de formatos e idéias. Publicamente seus proponentes destacam os benefícios deste sistema de governo, citando que o Brasil já teve um período de governo parlamentarista na era imperial. Note-se que a maioria dos países, se não sua totalidade aonde o parlamentarismo deu certo, o verdadeiro governo por trás do parlamento é a monarquia.

Quando uma monarquia quer parecer mais democrática instaura um governo de fachada, tendo o primeiro-ministro que prestar contas com seu monarca. À qualquer momento este monarca pode dissolver o parlamento e convocar novo presidente sem consultar o povo, dando a ele o poder de formar seu próprio parlamento. Mesmo que o primeiro-ministro seja eleito pelo povo ele fica subordinado ao monarca, então ele só será um porta-voz de uma autoridade maior.

As perguntas que fazemos: Quem estará por trás do governo? Quem decidirá quem é o chefe do parlamento e quem escolherá estes parlamentares? Quem são estes parlamentares? Qual a participação popular nesta gestão, eleger o primeiro-ministro pra cuidar da imagem do país, enquanto os políticos tomam conta do nosso dinheiro?

Pense e faça algo, porque o governo está trabalhando sem parar para criar um ambiente propício para dar plenos poderes aos políticos e nenhum para o povo. Segundo comentam nos bastidores da política, Temer planeja implementar o parlamentarismo antes das eleições de 2018, se for possível.

Tags: parlamentarismo, governo, política, manobra, corrupção, distrito, distritão, eleições 2018, impunidade, Saulo Valley, O Observador do Mundo, 

Artigo em Destaque

EDITORIAL - O Brasil é perfeito para quem não teme o trabalho honesto

Temos que combater os esforços da mídia paga, que visa fazer as pessoas amarem mais o mal que o bem. Se você concorda leia, comente e compa...

Leia também: