quarta-feira, setembro 14, 2011

Liga Árabe avisa a Assad que pare a "Máquina de Matar" e cumpra as reformas prometidas.

A Liga Árabe se reuniu nesta Terça no Cairo. O encontro contou com a presença do Primeiro-Ministro da Turquia Tayip Edorgan. A liga se mostrou espantada com a continuidade dos massacres mesmo após o encontro do Presidente Sírio Bashar Al-Assad com Nabil Arabi Secretário-geral da Liga Árabe no último Sábado dia 10-09-11.

O povo clama por socorro mas a reação internacional não passa de
advertências. Em menos de dois meses mais de 1000 pessoas foram
assassinadas pelo governo sírio totalizando 3000 desde 14 de Março-11.
Por Saulo Valley - Rio de Janeiro, 14 de Setembro de 2011 - 07h08min.
Atualização: 19h41min.

Cairo -  De acordo com o site de notícias da Turquia "haaretz.com" o Primeiro-ministro turco Tayyip Erdogan, em sua visita ao Cairo fez um pronunciamento quando buscava "definir a visão da Turquia sobre o atual Oriente Médio":
"Com o aumentar das mortes de civis na Síria, vemos que as reformas não se concretizaram e ele não fala honestamente. Não é possível acreditar nisso. E o povo sírio não acredita em Assad, eu também não acredito nele."
Enquanto a Liga Árabe se esforça para chamar a atenção de Bashar Al-Assad para o fim da violência no país, ele ignora os alertas e destaca por meio de sua agência de notícias "SANA" a fala do Embaixador Youssef Ahmad que criticou a posição do mundo árabe representado pela Liga e lançou um discurso choroso alegando que as pressões "impedem a resolução da crise na Síria".

O artigo publicado pela agência do governo sírio ainda destacou um trecho do discurso do Embaixador Ahmad que disse:
"Há partes árabes que adotaram posturas negativas que não ajudam em nada na resolução da crise na Síria, e estão a implementar os ditames de algumas potências internacionais que estão levando a conspiração e exercendo pressão suspeitas sobre a Síria."
Como se não vivesse dentro do pais, suas retóricas sobre as reformas não são compatíveis com a realidade vivida pelo povo. Enquanto o massacre prossegue, um novo acontecimento provoca novas reações ofensivas de Al-Assad:

Na semana passada, pela primeira vez houve uma grande manifestação na região Sul de Damasco. As forças de segurança demoraram a chegar até o local: O principal tema da manifestação era um pedido desesperado de socorro para a NATO e o Conselho de Segurança.


Como já demonstramos ontem, a primeira cidade a manifestar seu desejo de uma intervenção militar foi Rastan, Isto aconteceu na Sexta-feira do dia 03 de Setembro. A cidade foi sitiada desde então e está sendo barbarizada até agora. A adesão de outras cidades ao pedido pela NATO, em busca de ver o fim do massacre no país, estremeceu o presidente sírio que iniciou uma campanha ainda mais violenta em todo o país que se teve notícias até então.

Mas hoje a SANA anunciou que o governo sírio está melhorando o país. "obras de reformas" e abrindo estradas. Esta nova atividade não parece ter propósito uma vez que o exército sírio vive bombardeando as cidades. Mas tem propósito sim:

Enquanto o processo de reformas políticas não vem, Al-Assad iniciou uma desesperada reforma para apagar os rastros dos atentados do exército sírio contra os civis e o patrimônio do país (pelo menos pelos lugares onde ele pretende levar as comissões internacionais).

Desde que soube que a Liga Árabe e as Nações Unidas e a Cruz Vermelha Internacional enviarão novas equipes que pretendem percorrer as regiões de conflito.

Há depoimentos de dissidentes (que não pudemos confirmar) de que Al-Assad tem mísseis nas montanhas que estão apontados para a cidade história de Damasco, que é a mais antiga cidade histórica do mundo.

Enquanto Al-Assad se mostra interessado em resolver problemas que afetam as produções agrícolas no país o exército sírio faz exatamente o contrário, matando criações, destruindo plantações, fazendas e tomado terras.



Agora uma nova estrada ligará o Damasco de Norte a Sul, o que facilitará a chegada das tropas militares nos primeiros sinais de manifestação. Nada que diga respeito a melhorar a vida do povo sírio, dispensando a eles primeiramente o "Direito à Vida", o "Direito de Ir e Vir", o Direito de Liberdade de Expressão, de reunião, de demonstração de opinião e de oposição" entre outras leis internacionais.

Por falar em oposição, cerca de 50 ativistas políticos e de direitos humanos que (supostamente) lideravam a revolução popular foram executados em uma semana. 43 deles foram executados em 24 horas entre Sexta e Sábado passado.

Enquanto isso o mundo fica exigindo que a oposição se mostre organizada, como requisito para que possam finalmente prestar socorro ao povo, mas a realidade síria não pode ser comparada com os casos típicos de revolução. Inicialmente nenhuma revolução permaneceu pacífica até o fim. Em segundo lugar nenhum líder ditador impetrou uma caçada por manifestantes com varredura tão profunda sangrenta e permanente, além de Hafez Assad, seu próprio pai, que aliás, apesar te ter sofrido sanções internacionais e ter recebido uma eternidade de alertas internacionais aniquilou entre 30 e 40 mil civis em 1982 e nem por isto foi punido. Morreu no ano de 2000 por alegados problemas de saúde, mas fontes sírias afirmam que foi suicídio.



Mais Reformas

Atualização: 19h41min: O grupo de ativistas sírios que usa um nome fictício por questões sérias de segurança : Oradores em Inglês para ajudar a revolução da Síria  emitiu um relatório sobre as incursões militares nas aldeias sírias no dia de hoje.
"Resumindo os acontecimentos na Província Idlib, hoje, é extremamente doloroso. O Regime está usando a mesma campanha como Zabadani em 10s de aldeias. Ataques, prisões, destruição de propriedades, lojas e motos, disparando ao acaso. Dezenas de vítimas e mártires e em Zawyeh Jabal de tanque e artilharia. Tanque de bombardeio em Kinsafra, 9 ativistas presos. Kafir AWID é cercado por tanques e veículos blindados com artilharia pesada. Idleb -  Shabihas apoiados pelos militares invadiram a cidade de Al invadindo casas, prendendo e destruindo as propriedades. Muitas casas e lojas, também um número de motocicletas foram queimadas. 750, 000 (libras sírias) foram retirados do detido Ahmed Al-Umar, juntamente com jóias de ouro que está estimada em um valor de £ 250,00. Também tiraram de Fawaz Albarghot £ 500,000 e ele foi preso. Toda a aldeia ainda está cercada por todos os lados.
Outros regiões que foram atacadas hoje com queima aleatória e destruição de propriedades:
Kahrabafa, Monte Alzarbh e áreas rurais ao sul de Ma'arrat Numan, Kvrsjna & hich, Kvraud, Hazazen, Kelley, Mostafa Sheikh, Harmeh Maaret, Hazazen, Al-Fatera Moreeyan, Shanan, Kafre'weed. Jisr Em Al Shugour criança de 7 anos de idade, foi morta durante tiroteio pesado para dispersar uma manifestação nesta tarde. Esta manhã, seguranças e Shabihas queimaram casas na aldeia de Khirbet Joulet e carros foram abandonados na fronteira pelos populares fugitivos.
Houve tiroteio na fronteira, mesmo depois as pessoas cruzaram a fronteira e entraram na Turquia, mesmo nos campos localizados no interior da Turquia. Eles estavam perseguindo os deslocados com armas, e a maioria dos fugitivos eram mulheres, crianças e deficientes."

Artigo em Destaque

EDITORIAL - O Brasil é perfeito para quem não teme o trabalho honesto

Temos que combater os esforços da mídia paga, que visa fazer as pessoas amarem mais o mal que o bem. Se você concorda leia, comente e compa...

Leia também: